Dosagem de PSA ajuda na prevenção ao câncer de próstata

Junto com o toque retal, este exame de sangue dá um diagnóstico preciso para a doença

Apesar de ter sido lançado na década de 80, a dosagem de PSA no sangue ainda é desconhecida de muitos homens. O PSA (Antígeno Prostático Específico) é uma substância produzida pelas células da próstata. Quando existe um aumento no número de células produtoras, como o que acontece no caso do câncer de próstata e da prostatite (inflamação da próstata), o PSA se eleva no sangue, servindo como indicador dessas doenças.


>> Consulte um urologista!

Segundo Selmo Minucelli, hematologista e oncologista do Frischmann Aisengart / DASA, a diferenciação dos casos benignos e malignos de câncer nem sempre é possível apenas com valores isolados de PSA, sendo necessária a correlação com informações da história e do exame clínico. Todo homem deve se submeter à avaliação anual da próstata, com o toque retal e a dosagem de PSA a partir dos 45 anos de idade, independentemente da existência de sinais ou de queixas sugestivas de câncer. Em homens com história familiar, com parentes em primeiro grau com câncer de próstata, esta recomendação deve ser adiantada em dez anos. Com o PSA, é possível detectar tumores microscópicos. Combinados, o PSA e o toque retal dão aos médicos um diagnóstico de certeza quase absoluta?, explica o especialista.

Minucelli lembra que existem quatro procedimentos que possibilitam a diferenciação das lesões benignas do câncer: toque retal, dosagem de PSA no sangue, ultrassonografia de próstata e biópsia de próstata. O uso adequado desses exames torna possível a descoberta precoce da doença?, reforça o médico. O toque retal é feito por meio da palpação da próstata, realizada pelo médico durante a consulta clínica ou urológica, permitindo a detecção de áreas suspeitas na glândula. A ultrassonografia de próstata com biópsia, apesar de ser o exame definitivo para o diagnóstico de câncer, apresenta inconvenientes que restringem a sua utilização frequente, sendo indicado apenas nos casos considerados suspeitos pelos exames anteriores.

Câncer de próstata

A próstata é uma pequena glândula do aparelho reprodutor masculino, que envolve a uretra na saída da bexiga. Produz o sêmen, que é responsável pelo transporte e fonte de energia para os espermatozóides. De acordo com Minucelli, o câncer de próstata, em sua fase inicial, não costuma apresentar sintomas. Quando apresenta, destacam-se os sintomas consequentes ao aumento da próstata que, por envolver a uretra (que consiste no canal por onde passa a urina), costumam ser: dificuldade para iniciar a micção, urgência para urinar, jato urinário fraco, sensação de não esvaziar bem a bexiga e aumento da frequência urinária à noite. Mas estes sintomas não são exclusivos do câncer de próstata, sendo encontrados em qualquer condição que resulte em aumento da próstata?, lembra o especialista. Em fase mais avançada, o paciente pode manifestar dores ósseas, anemia e perda de peso.

O câncer de próstata é o segundo em incidência nos homens, ficando atrás apenas do de pele, e é o terceiro no rol dos mais letais entre os brasileiros - ele só é superado, nos homens, pelo câncer de pulmão e de pele. São registrados 52 novos casos a cada 100 mil homens. As taxas de incidência desse tipo de câncer são seis vezes maiores nos países desenvolvidos, se comparadas às dos em desenvolvimento. Mais do que qualquer outro tipo de câncer, ele é considerado o câncer da terceira idade, uma vez que cerca de três quartos dos casos no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

Fonte: Talk Comunicação