Festas de final de ano nas empresas

Empresas trocam festas tradicionais e Amigos Secretos por outras confraternizações

Qual é o significado da festa de fim de ano da empresa? Sem um planejamento da confraternização, com foco na união da equipe, os jantares, as cestas de Natal  e os amigos secretos? não têm significado algum.


Para muitos colaboradores, o encontro é apenas mais uma obrigação, ou uma oportunidade de diversão com o grupo de afinidade, sem impacto nas relações com os colegas de outros setores da empresa e sem a importante reflexão sobre o ano de trabalho que termina e o novo ano que se aproxima.

Segundo o consultor em desenvolvimento pessoal e de equipes , Sérgio Naguel, de nada adianta investir em uma festa de fim de ano se a comunicação interna, os relacionamentos interpessoais e a relação entre os gestores e os colaboradores não vão bem.

Se não existe confraternização de verdade, os funcionários prestam atenção em detalhes como o cardápio e a decoração, passam o jantar criticando a empresa e saem da festa marcados apenas por questões sem importância. ‰ tempo perdido para quem promove e para quem participa?, analisa.

Outro exemplo de situação arriscada é o amigo secreto das empresas. Se não há descontração e o mínimo de afinidade entre os participantes, a atividade vira problema. Muita gente participa por obrigação e, sem vontade, sai em busca de um presente para alguém que nem ao menos conhece. Que significado isso pode ter para o indivíduo e para o grupo??, questiona Naguel.

Para transformar a confraternização de fim de ano em algo positivo, que mexa com as emoções e feche o ano dos colaboradores e gestores com alegria e descontração, algumas empresas estão deixando de lado os jantares tradicionais e apostando em atividades diferentes.

Encontros com jogos de integração e diversão, como a dança coletiva, passeios para um dia de lazer para os funcionários e tour pela empresa, para que a família conheça o ambiente de trabalho são algumas alternativas.

Notícias relacionadas